Resenha – Ligeiramente Casados, de Mary Balogh

Ligeiramente Casados - Capa - Escuta EssaTítulo: Ligeiramente Casados – Série Os Bedwyn 01
Autora: Mary Balogh
Editora: Arqueiro

Sinopse:
À beira da morte, o capitão Percival Morris fez um último pedido a seu oficial superior: que ele levasse a notícia de seu falecimento a sua irmã e que a protegesse Custe o que custar!. Quando o honrado coronel lorde Aidan Bedwyn chega ao Solar Ringwood para cumprir sua promessa, encontra uma propriedade próspera, administrada por Eve, uma jovem generosa e independente que não quer a proteção de homem nenhum. Porém Aidan descobre que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá sua fortuna e será despejada, junto com todas as pessoas que dependem dela... a menos que cumpra uma condição deixada no testamento do pai: casar-se antes do primeiro aniversário da morte dele o que acontecerá em quatro dias. Fiel à sua promessa, o lorde propõe um casamento de conveniência para que a jovem mantenha sua herança. Após a cerimônia, ela poderá voltar para sua vida no campo e ele, para sua carreira militar. Só que o duque de Bewcastle, irmão mais velho do coronel, descobre que Aidan se casou e exige que a nova Bedwyn seja devidamente apresentada à rainha. Então os poucos dias em que ficariam juntos se transformam em semanas, até que eles começam a imaginar como seria não estarem apenas ligeiramente casados... Neste primeiro livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh nos apresenta à família que conhece o luxo e o poder tão bem quanto a paixão e a ousadia. São três irmãos e três irmãs que, em busca do amor, beiram o escândalo e seduzem a cada página. .

Banner Resenha - Ligeiramente Casados

Como a capa mesmo indica, o livro é um romance de época e esse é primeiro volume da série da Família Bedwyn onde conhecemos a história de Aidan Bedwyn com Eve Morris.
Os personagens criados por Mary Balogh são complexos e possuem personalidades fortes, principalmente Eve, que, apesar da época, não se submete a certas regras da sociedade, ela enfrenta os problemas e age da forma que acha correta. Descobrimos também que Aidan é um homem sério, distante, leal e honrado. No momento em que seu amigo está a beira da morte ele lhe faz um último pedido: que Aidan proteja a irmã dele, custe o que custar.
Movido pelo sentimento de dever e honra, Aidan segue viagem para dar pessoalmente a notícia para irmã de seu falecido amigo, mas o que ele encontra é um mulher, não muito bela mas atraente e ao que tudo indica, ela está bem e Aidan não entende o pedido de seu amigo.
Como assim proteger Eve? Proteger de quem ou de que?
Aidan acaba tendo um imprevisto, adia a sua viagem de volta e fica mais alguns dias hospedado na cidade e assim acaba descobrindo que, por causa da morte prematura do irmão, Eve perderá o Solar Ringwood e toda a sua fortuna dentro de quatro dias para um primo inescrupuloso e cruel.
Eis então que Aidan descobre como proteger Eve… Basta que eles se casem e o Solar Ringwood e toda a fortuna continua com Eve e ela poderá continuar a ajudar as pessoas que moram com ela. Sem pensar duas vezes, Aidan faz uma proposta: um casamento de conveniência, depois cada um segue o seu caminho.

"E Eve percebeu que o coronel batia ritmicamente nas costas as mãos entrelaçadas.
Terá que ser casar comigo – falou ele por fim.
O que?
Se você estiver casada antes do aniversário da morte do seu pai – disse Bedwyn –, conseguirá manter sua casa e sua fortuna e também os incapazes.”
(pág. 53)

Depois de relutar um pouco, Eve acaba aceitando a proposta pois muitas pessoas que estão no Solar dependem dela, assim Eve e Aidan se casam em uma cerimônia simples. Com tudo arranjado e Eve com sua fortuna e seu Solar em mãos, Aidan segue viagem, deixando para trás sua esposa.
Manter um casamento em segredo é uma coisa complicada e assim que Aidan chega em sua casa, não demora muito para que seu irmão acabe descobrindo sobre o seu casamento.
Tudo acaba virando uma grande confusão, quando seu irmão mais velho vai até o Solar de Eve e a traz para ser apresentada a sociedade junto com o marido.

Aidan Bedwyn pertence a uma família famosa e importante, mas tanto ele quanto os irmãos são distantes e soturnos, não são amorosos e felizes como são as pessoas que convivem com Eve.
Eve é filha de um mineiro de carvão galês, que casou com a filha do dono da mina, por isso eles se tornaram abastados, mas não possuem uma linhagem importante, mas Eve é amorosa, amiga, tem opinião e não se deixa abalar facilmente, enfrenta os problemas, a sociedade e os irmãos Bedwyn de cabeça erguida.

Eve e Aidan - Ligeiramente Casados - Escuta Essa

Com essa convivência que ambos não imaginariam que aconteceria, eles começam a descobrir que dentro daquele casamento… eles poderiam estar não só ligeiramente casados, mas ligeiramente apaixonados também.

Esse é o primeiro livro que leio dessa autora e achei bem interessante o desenrolar da trama, a história fluiu naturalmente, sem altos e baixos ou grandes acontecimentos, mas o enredo é lindo, torci pelo casal o tempo todo, adorei descobrir todas as facetas de Aidan e os segredos de Eve. Foi um prazer ler essa história e estou ansiosa pelo próximo livro.

Os livros da série Família Bedwyn são:

1 - Slightly Married (2003) - Ligeiramente Casados (Lorde Aidan Bedwyn e Eve Morris)
2 - Slightly Wicked (2003) - Ligeiramente Maliciosos (Lorde Rannulf Bedwyn e Judith Law )
3 - Slightly Scandalous (2003) - Ligeiramente Escandalosos (Lady Freyja Bedwyn e Joshua Moore)
4 - Slightly Tempted (2003) -  Ligeiramente Seduzidos (Lady Morgan Bedwyn e Gervase Ashford)
5 - Slightly Sinful (2004) - Ligeiramente Pecaminosos (Lorde Alleyne Bedwyn e Rachel York)
6 - Slightly Dangerous (2004) - Lorde Wulfric

Vamos falar um pouco da parte técnica do livro?
Na capa temos a imagem de uma moça com roupa de época, olhando por uma janela, passando a ideia exata da trama do livro. A capa é toda fosca com aplicação de verniz (brilho) somente no título do livro. A diagramação interna é simples, mas muito bem cuidada. As páginas foram impressas em papel off-white, o que suaviza a leitura e não cansa os olhos. O livro possui 288 páginas divididas em 23 capítulos e prólogo. Parabéns para a editora Arqueiro pelo belo trabalho.

Capas:
Ligeiramente casados slightly married


Mary BaloghSobre a autora: Mary Balogh nasceu e foi criada no País de Gales. Ainda jovem, se mudou para o Canadá, onde planejava passar dois anos trabalhando como professora. Porém ela se apaixonou, casou e criou raízes definitivas do outro lado do Atlântico. Sempre sonhou ser escritora e tinha certeza de que, no dia em que escrevesse um livro, ele seria ambientado na Inglaterra do Período da Regência. Quando sua filha mais nova tinha 6 anos, Mary finalmente encontrou tempo para se dedicar ao antigo sonho. Depois de três meses escrevendo na mesa da cozinha, a primeira versão de sua obra de estreia estava pronta. Publicada em 1985, deu a Mary o prêmio da Romantic Times de autora revelação na categoria Período da Regência. Em 1988, depois de vinte anos de magistério, ela passou a se dedicar apenas aos livros.
Hoje Mary Balogh é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times e vencedora de diversos prêmios literários.

4 comentários:

  1. Resenhamos esse livro quase ao mesmo tempo, dei minha opinião sobre ele lá no RR...rs
    Mas então, eu adorei a leitura e a história é fofa demais. Clichê? Sim, mas nós que amamos livros de época não nos importamos, adoramos, não é Renata?
    Parabéns pela resenha, muito bem escrita como sempre.
    Beijocas
    Vivi
    RR

    ResponderExcluir
  2. Oi! Tudo bem?
    Meu, parabéns pela resenha. É a primeira vez que leio do livro e gostei muito.
    Tenho interesse em lê-lo, mas o fato de pertencer a uma série de seis livros me desanima demais. Será que vale tanto a pena assim?

    Um beijo!
    Doce Sabor dos Livros - Aguardo a sua visita!

    ResponderExcluir
  3. Oi! Tudo bem?
    Gente eu preciso desse livro! Amo romances de época. E assim que tinha lido a sinopse dele fiquei: ah meu deus, eu quero! Pois gosto de mocinhas que não se deixam influenciar e o mocinho sendo meio que sofrido ou então, mantendo distância. Espero gostar do livro assim como você.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Oi Rê.
    Apesar de adorar romances de época, eu não me senti à vontade com a escrita dessa autora, e por conta disso, mesmo com todos os pontos positivos que você ressaltou, eu não pretendo fazer essa leitura.

    Beijos.
    Leituras

    da Paty

    ResponderExcluir