terça-feira, novembro 12, 2019

Resenha - Marionete, de Daniel Cole - Editora Arqueiro

Título: Marionete (Hangman)
Série Fawkes e Baxter 2
Autor: Daniel Cole
Editora: Arqueiro
Sinopse: Sua vida pode estar por um fio.
Muitos meses se passaram, mas a detetive Emily Baxter ainda lida com as cicatrizes do chocante caso Boneco de Pano e com o desaparecimento de seu amigo William Fawkes, o Wolf. Apesar da relutância em se envolver em outra investigação horrenda, ela é convocada para uma reunião com o FBI e a CIA, onde é surpreendida com fotografias macabras de um corpo retorcido em uma pose familiar, pendurado na ponte do Brooklyn, com a palavra “isca” entalhada no peito. Logo em seguida, uma nova vítima surge em condições idênticas. Só que, dessa vez, o corpo do assassino também se encontra na cena do crime, com a palavra “marionete” entalhada no tórax. Quando a pressão da mídia e da opinião pública se intensifica, Baxter recebe a ordem de cruzar o Atlântico e ajudar na investigação. Enquanto as mortes se multiplicam tanto em Nova York quanto em Londres, a força-tarefa se vê impotente e Baxter precisa vencer o medo que a paralisou no último ano para impedir o sacrifício de mais vidas.



Boneco de Pano é o primeiro livro de Daniel Cole e quem já leu, sabe que a trama é muito boa e que com certeza não pode deixar de ler o segundo livro, Marionete! O ideal é que leia na ordem, pois o segundo livro tem spoiler da primeira história e complementa outras coisas. A trama de Marionete segue o mesmo ritmo do primeiro livro, mortes brutais, um assassino e a detetive Emily Baxter querendo resolver o caso. Então vocês já fazem ideia do ótimo livro que vem aí né?

Emily Baxter é a nossa detetive e protagonista dessa trama, em Boneco de Pano as luzes estavam focadas em William Fawkes, e agora Emily é que estará em evidência (que bom, mas a coitada nem bem se recuperou de Boneco de Pano, e já está investigando outro caso bizarro). Emily vai se deparar com um caso bem horripilante, um homem foi morto e está pendurado em uma ponte por fios e no seu peito está entalhado a palavra "isca" e para deixar a situação ainda mais esquisita, no dia seguinte o assassino é encontrado morto com a palavra "marionete".

Outros casos vão surgindo, tudo seguindo a mesmo modus operandi, o corpo sendo encontrado com a palavra "isca" e depois o seu assassino com a palavra "marionete", tudo indicando que o assassino tenha se suicidado. A CIA e o FBI está relacionando o caso com o do Boneco de Pano,  e por isso que a Emily foi chamada para ajudá-los.

"Ele acha que pode se esconder de nós. Está errado. Acredita que é mais esperto do que nós. Também está errado. Nenhum de nós irá descansar até termos esse desgraçado algemado na nossa frente."

As mortes vão aumentando e ficando cada vez mais horríveis, (em alguns momentos temos que ter estômago), o pessoal que está trabalhando no caso precisa agir rápido para encontrar o verdadeiro responsável por essas mortes, porém, mesmo seguindo as pistas, focando nos pequenos detalhes, tudo fica bem complicado quando os assassinos também morrem...



As cenas são bem viscerais e intensas, deixando algumas passagens do livro bem tensas, mas temos um pouco de humor negro, para quebrar todo esse sangue derramado.

Gostei muito de ver a Emily em foco, saber um pouco mais sobre a sua vida, o seu jeito de não conseguir confiar muito em ninguém, de como ela se sente no meio de mais um caso bizarro e ver como ela vai lidar com tudo isso. Edmunds também está presente nessa história, o que eu achei muito bom! Acho que Edmunds e Emily fazem uma excelente dupla.

Gostei muito da trama, não via a hora de descobrir quem estava por trás de todas essas mortes, quem era a mente diabólica. A leitura fluiu bem, me surpreendeu positivamente, tem uma levada um pouco diferente, mas achei bem interessante e válida. Para quem gosta de um bom thriller policial, com certeza vai gostar muito dessa história.

Vamos falar um pouco da parte técnica do livro? 
A capa é toda fosca com aplicação de verniz (brilho) no título do livro e no nome do autor. A diagramação interna é graciosa e muito bem cuidada. As páginas foram impressas em papel off-white, o que suaviza a leitura e não cansa os olhos. O livro possui 352 páginas divididas em quarenta capítulos, epílogo, agradecimentos e autor: perguntas e respostas.

Parabéns para a editora Arqueiro pelo belo trabalho.

Capas internacionais:
   

Gostou dessa história?
Baixe um trecho
Comprar

Sobre o autor: Aos 33 anos, Daniel Cole já trabalhou como paramédico, foi oficial da Real Sociedade Protetora dos Animais e membro da Guarda Costeira Real, sempre imbuído do desejo de salvar pessoas – ou talvez movido pela culpa de ter matado tantos personagens em seus textos. Boneco de pano é seu primeiro livro, escrito originalmente como piloto para uma série de TV, e, nos primeiros dias após o lançamento no Reino Unido e na Holanda, já foi direto para as principais listas de mais vendidos. Ele vive em Bournemouth, na Inglaterra.

2 comentários: