Resenha – O Amor De Um Sheik, de Jane Porter

O Amor De Um Sheik resenhaTítulo: O Amor de um Sheik (The Sheikh's Virgin)
Jessica 56 Especial
Autor: Jane Porter
Editora: Harlequin
  
Sinopse: Muitas mulheres desfrutavam dos inúmeros benefícios de ser amante do sheik Kalen Nuri. Mas nenhuma conseguiu mantê-lo interessado por muito tempo. Quando ele conhece a bela e independente Keira, fica completamente encantado! Mas ela ainda se recusa a ser sua! E Keira é a mulher escolhida para ser a noiva virgem de Kalen... Você duvida que ela se entregue ao sheik?    
    
    
    
    
    
    
    
    
    
     
Banner Resenha - O AMor de um sheikAcabei de ler e vim correndo fazer a resenha desse livro.
A Jane Porter escreve histórias de romances muito bonitas (já li outros livros dela, bem legais também), mas esse é bem interessante pois aborda temas pesados e culturais de forma mais leve, mas o importante é que o tema está lá.

O Amor de um sheik conta a história de Keira al-Issidri, uma bela moça que possui um pai bem rigoroso e extremista nascido em Baraka e uma mãe intelectual e liberal nascida na Inglaterra. Keira nunca se sentiu muito a vontade com nenhum dos dois, mas passou a maior parte da sua vida vivendo com a mãe em Manchester, bem longe dos rigores de Baraka. Mesmo estando longe de seu pai a sete anos, ele ainda acha que tem poderes sobre ela e entrega a mão de Keira para um homem poderoso e influente, vinte anos mais velho do que ela, um casamento totalmente arranjado.   

Keira viveu em Baraka até seus quatro anos de idade, depois durante a sua adolescência visitava a cidade somente nas férias de verão, mas há sete anos que não ia a Baraka e ela tinha motivos bem fortes para não querer voltar mais lá, um segredo que ela guardava a sete chaves, algo que aconteceu durante uma festa de aniversário de um jovem sheik que ela admirava muito, o sheik Kalen Nuri.
 
Voltar para o seu país de origem estava totalmente fora de questão, ainda mais para um casamento arranjado com sabe lá quem. Tudo isso seria motivo de riso, se o seu pai não fosse um homem muito importante, rico e o braço direito do Sultão. Se ele a queria em Baraka, ele daria um jeito para que acontecesse. Isso assustava Keira e abalava a sua confiança já que não tinha mais a sua mãe ao seu lado pois ela havia falecido a dois anos.   
   
A história não é tão simples e temos na verdade uma guerra de poderes se consolidando através de um simples casamento arranjado. Ornar, pai de Keira, deu a mão dela a Ahmed Abizhaid, um fundamentalista radical que também era um dos críticos mais ferrenhos do Sultão, para que Ahmed tivesse acesso ao palácio e, ambos, Ornar e Ahmed, pudessem destruir o Sultão Malik, toda a sua família e tomar o poder. Um golpe estava se formando.      
sheik2
Temos então o sheik Kalen Nuri, que rapidamente entendeu todo o complô e decidiu que defenderia a família do Sultão com unhas e dentes. Resolveu intervir a sua maneira e abordar diretamente Keira em uma festa e avisá-la que os seguranças do pai dela já estavam no país e que se ela não fugisse com ele, ela teria que se casar com um homem velho, feio e gordo, com idade pra ser seu pai.

Keira conhecia Kalen Nuri e teve uma paixonite por ele durante sua adolescência, mas nessa época ela era uma jovem invisível naquela sociedade medieval, e sair escondida para ir a festa de Kalen anos atrás trouxe grandes problemas.

A principio Keira não aceita e Kalen a leva em casa, mas assim que chega, os seguranças do pai de Keira a pegam, ela grita por ajuda e Kalen vem em seu socorro e diz aos seguranças que Keira é dele, sua amante, e que a pai dela não pode intervir nisso.

Uma grande confusão é gerada por conta disso, o acordo seria um “casamento com uma virgem” e agora o pai dela e o futuro marido (velho babão) entram em conflito. O acordo vai ser desfeito, pois ele não quer uma mulher “usada”. Os conflitos nem sempre são simples, do tipo, não deu certo, tudo bem. Provavelmente vai ter derramamento de sangue ou algo do assim. 

Kalen tem uma queda por Keira (na verdade sempre teve), Kalen lembra dela na festa do seu aniversário, uma belíssima jovem e quando vê a oportunidade de tê-la só pra si, ele não vai medir esforços, pois através dela vai ajudar a combater o golpe que está se formando contra o Sultão e tornará Keira sua amante, para “ajudá-la”. Keira não aceita nada disso, ela quer a sua vida de volta, sua independência e acima de tudo sua liberdade de expressão, pois lá em Baraka nada disso é possível.

Kalen então baixa a guarda e deixa Keira a sorte do destino. Claro que ela acaba sendo sequestrada pelos seguranças do pai e levada para o deserto de Baraka, onde o pai vai tentar negociar ela, agora como uma mercadoria usada (aff)
Tenda acampamento sheik
Claro que Kalen vai atrás de Keira, pois esse é um daqueles romances lindos e fofos, com ares de sheiks e mocinhas sequestradas para as areias do deserto. Mas a história não é só isso, a autora aborda temas bem interessantes e fortes, sobre a mulher na sociedade de Baraka, como ela não tem voz em momento algum e onde somente os homens podem resolver as coisas.

Temos a figura da mãe de Keira como uma mulher independente e feminista, que largou o marido em Baraka e voltou para sua terra sem pensar duas vezes, temos também o segredo que Keira carrega em seu coração sendo revelado e as consequências gravíssimas desse fato em Baraka.

É um romance bonito, mas o interessante é que ele não fica somente no água com açúcar, ele aborda questões importantes da mulher na sociedade.

Recomendo a leitura!

Jane Porter1Sobre a autora: 
Jane Porter, nasceu em Visalia, Califórnia, escritora americana, autora de literatura romântica e também de chick-lit.
Ela passou grande parte do ensino médio e universitário no exterior, estudando na África do Sul, no Japão e na Irlanda.
Formada em Estudos Americanos, um programa que combina literatura americana e história dos Estados Unidos. Ela trabalhou em vendas e marketing, bem como como diretora de uma fundação sem fins lucrativos. Mais tarde, obteve um mestrado em redação da Universidade de São Francisco. Agora ela mora em Seattle, Washington, com seu marido surfista e seus três filhos.

2 comentários:

  1. Oi
    Uau, adoro livros com sheiks e gostei que a autora mostrou como é um pouco da cultura deles lá, tipo "onde as mulheres não tem vez". Fiquem com vontade de ler esse livro, amei a resenha. Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Eu amo esses romances de banca, sempre leio e sempre tenho um ao meu lado pra ler. Eu tenho esse aí aqui em casa, vou ler ele hoje mesmo :)
    Linda a sua resenha, adorei as fotos
    Bjs

    ResponderExcluir